quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Cursos caros? Pra quê? Na internet tem conhecimento de sobra e Grátis!

Qualquer um que esteja no colégio, faculdade ou trabalhe já deve ter ido no Google para procurar por coisas como: slides de matérias, livros, tutoriais, "Aprenda a linguagem phajaxasp em 2 horas", artigos, fóruns com dicas e especialistas em um assunto entre outras coisas. Isso por que a Web de hoje transborda conhecimento. Mas como podemos achar e aproveitá-lo sem cair em pegadinhas e informações erradas?

Saber onde e como procurar

Antes de tudo, se você quer achar algo é claro que é melhor você saber procurar. "Duh! É só procurar no Goooogle!!". Pode até ser... Mas até no onipresente Google é preciso saber usar as suas funcionalidades.

Existem várias modos de pesquisa e é bom ter uma noção para poder facilitar na hora de procurar algo. Para saber mais dê uma olhada nas páginas de ajuda do Google aqui e aqui, além deste post com mais algumas coisas.

Outra dica legal é o Google Code Search, para quem não conhece ele procura palavras-chave em códigos-fonte disponíveis pela Web, vale a pena para os programadores. Para os universitários e pesquisadores o Google Acadêmico já é figurinha conhecida, mas todos podem conhecer seu poder. Nele você encontra artigos científicos de uma variedade muito grande de assuntos. É bom dar uma conferida antes de procurar em outras fontes menos confiáveis.

Lembre-se sempre de tentar primeiro pesquisas mais específicas, se não obter resultado vá tentando mudar os termos ou generalizar alguma parte da consulta.

Conferindo a fonte

Alguém já pegou alguma informação de um site e quando foi ver estava errada? Quem só copia e cola da Wikipedia ou qualquer outro site já deve saber como é. Por isso, se você souber da onde veio o slide, artigo ou seja lá o que você tenha achado, verifique quem foi que fez. Foi um professor? Um pesquisador? Um entusiasta da área? Um grupo de alunos de um curso? Todos estes são passíveis de erro, mas entre a palavra de um professor e a de um aluno qual você deveria confiar? (claro que tem professor falando besteira por aí, mas...)

No caso de Tutoriais e artigos do tipo "como-fazer-tal-coisa-em-10-passos" é bom procurar primeiro em sites renomados da área como o WebTutoriais, por exemplo, além de fóruns especializados onde além de tutoriais você vai encontrar gente que entende bem do que você procura.

Caso não ache o que lhe interessa nos principais sites então vá atrás de alguém que tenha postado em um blog aquele tutorial que você está procurando, geralmente você acha uma boa alma pra te salvar nestas horas.

Uma coisa que pode ser chata, mas pode evitar incovenientes, é você sempre pegar informações de mais de uma fonte e compará-las. Se uma estiver diferente da outra você vai perceber que algo está errado.

É possível aprender sozinho através da Web?

Esta é uma questão polêmica. Muita gente diz que aprendeu a programar, fazer sites, cozinhar sopas, dar manuntenção no Linux (o mais difícil! Brincadeira! :P) entre outras coisas apenas lendo tutoriais e artigos encontrados na Internet. É possível? Com certeza. Mas muitos argumentam que na Web você não tem a profundidade e a versatilidade que você ganha fazendo um curso "de verdade" numa sala de aula com professor e tudo mais (no Second Life tem sala de aula?). Isso não tira o mérito da pessoa que aprendeu tudo na Internet, muito menos o conhecimento dela.

O fato é que hoje qualquer pessoa que saiba procurar no Google pode aprender uma infinidade de coisas. Basta perseverança, coragem e muita cabeça pra bater quando as coisas derem errado e não tiver professor para pedir ajuda. Oww! Mas é só ir num fórum e perguntar de alguém que saiba! ;)

3 comentários:

CWagner disse...

Um amigo meu queria aprender a programar em PHP. Perguntei a ele por que não procurava uma revista, livro ou tutorial e ele disse que só conseguia aprender se pagasse alguém para ensiná-lo.

Prontamente me ofereci para o sacrifício, mas ele não tocou mais no assunto e foi ser político.

Whatever... O caso é que muitos não aprendem a aprender sozinhos, apenas a aprender se houver um "instrutor" ou pelos menos um "jogador de conteúdo". Isso é bom para a Indústria educacional como um todo, a privada porque pode contar com "clientes" para o resto da vida e pública porque sabe que a grande maioria da população só aprenderá aquilo que melhor convier aos interesses maiores (não os nossos, claro).

A faculdade pública, talvez pela seu estado deplorável e notória escassez de bons mestres, força uns poucos a aprenderem sozinhos, e isso quebra um pouco o ciclo.

Infelizmente somos forçados a vivermos num mundo onde tudo é contra quem mais precisa.

Saúde e Paz.

Moskito disse...

Buenas, Hummel!

Eu sou um super defensor da internet. Sou acadêmico de design mas aprendi a programar "na marra" e a operar softwares só com a vontade mesmo.

Essa questão de saber onde procurar, é simples. Google e Fóruns hoje em dia colocam qualquer pessoa a par de qualquer situação, e quando não há resposta existem duas opções: descobrir uma e compartilhar na web, que é o que as "grandes fontes" fazem ou esperar que alguém o faça e esperar para pegar, que o que milhões de pessoas fazem...

Enfim, eu acho totalmente possível aprender muito a internet, mas não é por isso que eu não invisto em cursos e certificados, não os desmereço. Afinal, eu não iria em um dentista que tivesse "aprendido tudo na internet", por mais autodidata que ele fosse. ;)

Felipe Hummel disse...

Com certeza cara! Acho que os cursos tem sua importancia sim...
Mas realmente hoje em dia, tem tudo na internet! hehehe
É só sabe aproveitar direito.

É CWagner, tem muita gente que não consegue aprender sozinho. É normal.
Eu também não sou nenhum super auto-didata, mas eu me viro.

Abraço! Valeu pela opinião de vocês.