sexta-feira, 28 de março de 2008

Por que o Brasil não desenvolve Twitters e Facebooks?

Em tempos de Web 2.0, startups de sites e serviços pipocam por todo mundo. De idéias sensacionais até coisas sem muita graça e sentido, muitas empresas estão recebendo milhões de dólares em investimentos. A minha pergunta é: cadê o Brasil para pegar uma fatia dessa grana?

Costumo prestar atenção nos novos websites gringos e é difícil achar algum que não poderia ter sido pensado/desenvolvido aqui por brasileiros. Vejam só:

O FriendFeed, por exemplo, é um site graficamente simples. Em termos de funcionalidades pode ser resumido a uma implementação simples de rede social, além de o sistema gerar um novo feed RSS para as atualizações (blogs, flickr, twitter, etc...) de seus amigos. Ambas as funcionalidades (rede social, e construção de feed) podem ser achadas aos montes pela Web em forma de tutoriais ou em sistemas de código aberto. A única parte pouco coveniente é ter que armazenar tudo para o usuário poder fazer busca, o que necessita de um servidor com um bom armazenamento.

O Twitter, menina dos olhos da Web 2.0, também não possui nenhuma inovação tecnológica, é apenas um sistema de blog modificado. A dificuldade reside apenas em implementar um sistema robusto e eficiente.

Será que os brasileiros não conseguiriam desenvolver estes serviços?

Quem lê blogs deve conhecer o Blogblogs. Uma rede social de leitores, blogs e blogueiros que ainda indexa o conteúdo dos blogs, usando a estrutura de links entre eles e outras funcionalidades da rede social para montar um Rank da blogosfera. Alguem acha isso mais fácil de desenvolver que um Twitter ou FriendFeed?

Tem também o Yoomp que também é uma rede social envolvendo blogs mas com várias funcionalidades diferentes do Blogblogs.

Para fechar os exemplos nacionais, temos também o Camiseteria, modelo na área de conteúdo gerado pelo usuário, implementa uma rede social junto com uma loja de camisas.

Alguém ainda dúvida que podemos desenvolver Twitters, Friendfeeds e até Facebooks?

Será que falta coragem para inovar? Será que falta visão? Dinheiro?
Creio que os desenvolvedores brasileiros já tem nível suficiente para se arriscar no mercado global. Mas já temos a maturidade?

Na minha opinião, está mais do que na hora de começarmos a desenvolver boas idéias e tentar conquistar o mercado internacional. Quem acompanha as startups estrangeiras sabe como qualquer idéia simples e muitas vezes sem muito jeito para gerar dinheiro ganha investimentos volumosos.

A minha intenção neste post é incentivá-los para que o próximo Twitter, FriendFeed ou sei lá o que, seja brasileiro. Basta pé no chão, cuidado e muito trabalho.

Qual é a sua idéia para o próximo grande site da Web 2.0?


Veja também:

Como ter idéias e criar sites que podem valer 1 bilhão de dólares - Parte 1
Como ter idéias e criar sites que podem valer 1 bilhão de dólares - Parte 2
Como ter idéias e criar sites que podem valer 1 bilhão de dólares - Parte 3

21 comentários:

BBTester disse...

Grande Hummel, obrigado pela citação. Realmente o BlogBlogs tem uma complexidade boa e, em teoria, é mais complexo sim que o Twitter, mas o Twitter tem a complexidade da escala. Bom, mas escala é problema dos que gostaríamos de ter, né? O que posso dizer é que estou preparando boas novidades nesta linha, melhorias sérias no BlogBlogs e outros serviços saindo do forno. Quem sabe não nasce mais um monstrinho.

Felipe Hummel disse...

Opa "BBtester" (suponho que tenha um nome hehe =P)
Com certeza a implementação do Twitter tem que ser escalável, mas quando tem-se dinheiro e usuários é possível tranquilamente otimizar/comprar banda e processamento. Obviamente, a gente aqui no Brasil queria ter que fazer isso, afinal quem não quer uma quantidade excessiva de usuários? hehehe

Melhorias no Blogblogs é? Vou ficar de olho. Sempre achei o Blogblogs muito organizado e promissor.
Se precisar de beta tester ou alguém para dar umas idéias/pitacos pode chamar (felipehummel@gmail.com)
heheheh

Boa sorte!
Abraço!

jHm disse...

Por que o Brasil não faz esses aplicativos legais assim? Muito simples... Olhe a nossa realiade. 99% dos desenvolvedores estão se ralando para ganhar o pão de cada dia. Muitos gastam entre 12 a 16 horas por dia para manter prazos absurdos de projetos ridículos que dão pouco resultado (em sua maioria, cópias de inovações que já ocorreram anos atrás nos EUA). Sobra praticamente NADA de tempo para se dedicar a coisas interessantes e inovadoras.

As pessoas que tem o dinheiro para investir (ou seja, chefes e gerentes) são em sua maioria da geração passada, que cresceram sem internet... muitos não fazem a menor idéia de como funciona e muito menos como criar produtos para esse novo mercado.

A realidade americana é muito diferente da nossa. Vai demorar um tempo ainda para que pessoas com idéias inovadoras tenham recursos (ou seja dinheiro) para gastar seu tempo implementando elas.

Cab disse...

É, acho que os altos custos com servidores e tecnologia aqui no Brasil também possam ser um impasse. Mas acredito que o grande motivo mesmo é o COMODISMO. Já estamos acostumados a esperar e utilizar esses serviços gringos. =|

Felipe Hummel disse...

Jhm:

Com certeza, a nossa cultura ainda tem um certo atraso. Mas podemos tentar fazer um esforço nas horas vagas hehe
Temos que tentar.

Exatamente 'cab'. Acho que o comodismo influi muito nesse problema. Pessoal já acha que não podemos fazer melhor que os gringos aí ficamos nessa.

Valeu pelos comentários!

Abraço!

CMilfont disse...

Felipe, o maior problema é a soma da falta de cultura com o comodismo aliado ao pessimismo clássico tupiniquim (vide comentário do Jhm).
Trabalho em uma startup chamada Tuangr (www.tuangr.com) que é uma rede social para compras conjuntas com amigos.

Felipe Hummel disse...

Opa cara!
Que interessante a proposta do tuangr, bem diferente.

É isso mesmo, muito comodismo e pessimismo hehe

Temos que mudar isso.
Boa sorte com a sua startup, já vi que tem versão em inglês, que bom!

Abraço!

terramel.org disse...

Ora, isso não é óbvio? A culpa é das faculdades brasileiras que estão completamente atrasadas em relação ao resto do mundo. Enquanto alunos de faculdades criam projetos inovadores como redes sociais, nossos faculdades incentivam os alunos a criarem apenas coisas bobas e sem visão nenhuma, como por exemplo, os famosos sistemas de cadastro de clientes de supermercado/locadora/loja...

É sempre assim. Na minha faculdade por exemplo, os TCCs sempre são algum sistema de cadastro de clientes ou algum estudo de logística ou algo do tipo....

Se tentamos criar algo novo nos deparamos quase sempre com nossos colegas falando que é impossível e nossos professores com olhares reprovadores ou dizendo algo como: "isso não é o que o mercado quer"...

E por falar nisso, sinceramente, quantos professores universitários vocês conhecem que realmente saibam o que é Twitter? A única rede social que a maioria conhece é o Orkut ;D

Abraços
do Terrinha

Felipe Hummel disse...

Isso mesmo "terrinha" hehe

As faculdades formam o aluno muito direcionado pro mercado e isso acaba limitando a "visão".

E realmente professores não entendem nada das novas tendências =P

Abraço!

Gustavo Alves disse...

Vocês acham que um site de relacionamento para pessoas com interesse em criar startups daria certo?

O site seria um ponto de encontro para você que tem uma idéia mas não sabe programar encontrar sócios desenvolvedores, ou você desenvolvedor que não tem tempo encontrar sócios para colocar a coisa pra andar, ou até mesmo para encontrar sócios investidores.

O que acham? daria certo?

terramel.org disse...

Felipe: Fico feliz que tenha concordado comigo :) Seu post está excelente! Assim que sobrar tempo vou falar sobre isso também no meu blog (claro, depois de um descanso, já que me matei para escrever 6 longos posts para o dia primeiro de abril ;D

Gustavo: Pode ser que sim, mas não tenho certeza. Infelizmente aqui no Brasil o povo anda meio alienado... Ninguém acredita em inovação... Daria mais certo você fazer uma rede social normal para todo o tipo de público e inovar nas features dela. Coloque, por exemplo, as coisas que você mais sente falta nas redes sociais e programas que você mais usa. Se eu tivesse Know-How pra desenvolver uma, eu faria uma rede social com coisas como orkut, comunidades e tudo mais, mas também colocaria coisas como salas de bate papo em tempo real no próprio site aproveitando o protocolo do IRC. Também colocaria embutido para cada usuário um Instant Messenger usando o protocolo Jabber e que permitiria trocar mensagens com usuários de outros sites e protocolos e serviços como ICQ, MSN, Gadu-Gadu, Gtalk etc... Outra coisa seria botar uma forma de centralizar as mensagens e contatos de tudo quanto é rede social como Orkut, WAYN, Gazaak, Facebook, MySpace etc. Colocaria uma forma do cara poder colocar na página principal dele o próprio blog, mesmo que esteja em outro servidor como wordpress, blogspot ou algum host próprio, e colocaria uma forma de garantir interoperabilidade entre blog e rede social... e também adicionaria algo como o Twitter e mais para frente um suporte para mandar posts, mensagens etc, e receber, via celular ;D

Abraços
do Terrinha

Felipe Hummel disse...

Uma rede social para pessoas com interesse em criar startups?

Pode ser interessante, mas a idéia teria que se desenvolver mais.
E COM CERTEZA não poderia ser exclusiva para o Brasil hehehe

Valeu pelos comentários!

Abraço!

Carros Brasília disse...

Oi Felipe, acredito que é mais por uma questão de mercado.

Nossa base de usuários ainda é baixa e a conexão ainda é muito ruim.

Olha, hospedagem no Brasil ainda é muito caro, pagamos milhares de reais para hospedar nosso site aqui no Brasil só pra ter ele veloz.

Aí, se você tem pouca grana tem que hospedar fora, aí é uma lentidão horrível.

Já tive vontade de desenvolver vários projetos, mas esbarro na questão de velocidade de acesso aos serviços.

T+

Felipe Hummel disse...

Verdade cara, a hospedagem aqui no brasil é dificil mesmo, já vivi na pele isso hehe

Abraço!

Rodrigo Fante disse...

Ola, eu sei que o post nao eh novo, mas apenas hoje pude comentar.

Sou desenvolvedor do Yoomp,

Hospedagem creio que nao eh tanto o problema, visto que podemos hospedar em servidores estrangeiros a custo baixo.

O maior problema creio ser falta de publico consumidor realmente ativo.

Vejo sites parecidos com o Yoomp fora do Brasil onde a galera participa, nao apenas cadastra o blog e some.

E sem um numero massivo de acessos varios bons projetos que sao iniciados no Brasil acabam sendo terminados sem que muita gente nem saiba.

Eu estou continuando de teimoso no Yoomp, estou terminando de construir um modulo de comunidades para ver se os blogueiros usam o espaco para discutir e interarir, o Yoomp gracas a Deus ainda nao posso reclamar muito pois esta crescendo todo dia, mas muitos bons projetos sao largados ao limbo por falta de usuarios.

Abracao

Felipe Hummel disse...

Fala Rodrigo, obrigado pelo comentário.

Realmente, hospedagem no Brasil a gente ainda tem escapatória de hospedar fora, e acho que apesar do que falam isso não "deixa o site lento" para os usuários brasileiros

Com certeza, a Web 2.0 no Brasil ainda tá engatinhando, tanto o público quanto os serviços (mas acho q mais o público).
Curti muito a iniciativa do Yoomp e imagino a pedreira que é correr atrás.

Pode desistir não.

Se quiser conversar dá um toque: felipehummel@gmail.com

Abraço!

Terramel disse...

Hummel, como já comentei antes, é excelente esse seu post. Estou passando aqui para te mostrar o artigo que publiquei hoje cujo seu post foi um dos inspiradores para que eu escrevesse ;)

Espero que goste: http://terramel.org/falta-de-visao-das-faculdades-e-o-que-afeta-o-brasileiro/

Abraços

do Terrinha

Fabio Ortolan disse...

Idea coletiva para uma startup!!

Site de Caronas entre cidades com rede social.

Eu tenho alguma coisa já feita neste sentido

http://ballz.ababa.net/mahousenshi/mochila.htm

Imitando um site europeu, só a parte do sistema, mas a minha ieda por tras é criar a possibilidade de criar um rede social por trás.

O grande problema desta idea é que os riscos juridicos futuros são imensos, mas quem quer se arriscar pode tocar para frente.

wallace ld disse...

tinhamos o blogchalk, q era um modelo de busca de blogs por metainformacao. n vem a cabeca o autor, era um carioca, mas a ideia tinha futuro!
e tinhamos o q poderia ser o pai ou o avo do twitter, o i-Eu.com (bem no estilo "como eu estou hoje", que foi a inspiracao do twitter).
agora, porque n vira no brasil? acho q tem a v um pouco com a forma q o servico se populariza, de certa forma.
(e vi, agora, a derrota do brasil na final do volei masculino :~~~~()

vitor disse...

Olá Hummel, condordo em parte com o seu artigo. Porém, sob meu ponto de vista, a web brasileira simplesmente ainda não amadureceu, isto vai acontecer, é claro, mas com uma defasagem de 5 anos. Essa defasagem com relação às novidades dos EUA e Europa é notória em diversos mercados e indústrias.
Gostaria também de compartilhar um exemplo de site web 2.0 brasileiro: http://chiclette.com.br
É um agregador de notícias sobre (sub-)celebridades, codificado em Rails, utiliza lógica fuzzy para tagear as notícias, possui um robô-crawler para recuperá-las de vários sites fonte, possui uma rede social, permite publicação de notícias e comentários pelos usuários e votação; as melhores notícias são rankeadas na página principal.
Foi desenvolvido pela equipe da Pensée (http://pensee.com.br) como um estudo de caso. Apesar do tema ser lúdico, tem muita ciência em baixo do capô. Parabéns pelo post. Abraços!

Anônimo disse...

Uma rede social para pessoas com interesse em criar startups?

Acho que esta idéia pode vingar, ao menos para formar um grupo para trabalhas boas idéias. De qualquer sorte, podemos ficar de olho nos projetos lá de fora e usarmos nossa criatividade para incrementar.