quinta-feira, 30 de julho de 2009

Livro Outliers e as oportunidades

Li já faz algum tempo o livro Outliers - Fora de Série do Malcom Gladwell. Resumindo bem resumido: o livro fala que o sucesso ou fracasso de pessoas/organizações não se deve apenas ao esforço, dedicação e/ou competência. Ele afirma que inúmeros outros pequenos fatores influenciam. Ele cita, como exemplo, a história de Bill Gates que teve a sorte de ser filhos de pais ricos que eram liberais a ponto de deixá-lo trabalhar no computador de madrugada, além de estudar numa escola com um dos raros computadores da época a disposição.







Apesar de repetir alguns argumentos de forma ligeiramente cansativa, o autor consegue demonstrar através de fatos algumas coisas bem interessantes. No princípio parecem conceitos meio óbvios: "Claro que o sucesso de um indivíduo não depende só de seu esforço, tem muita sorte envolvida também!!".

Muitas vezes parecemos só lembrar do esforço e achar que só isso importa. Sempre tentamos "não dar bobeira pro azar". No entanto, temos que também saber, e muito bem, "dar chance a sorte". Criar oportunidades para si mesmo, pode ser tão importante quanto perder o último fio de cabelo trabalhando na madrugada. Esse é um ponto presente no livro e que parece óbvio, mas na maioria das vezes esquecemos. Para que as coisas boas (e ruins) aconteçam temos que criar e aproveitar as oportunidades. Essa foi a lição que tirei do livro e se você ler, vai acabar tirando também. Recomendo!

Um comentário:

garoto cientista disse...

olá, li o livro tb, ja faz um tempinho, de forma geral, gostei do livro e tb recomendo, é uma leitura muito interessante, no entanto, o autor cita alguns dados mais técnicos que, até onde me informei, não são tão verdadeiros quanto afirma o autor, tipo, nunca ouvi falar que Bill Gates fosse fera em programação, sempre ouvi falar que ele era o cara para perceber o momento, negociar, ganhar, no entanto em programação não, porém, o autor atribui parte do sucesso dele às milhares de horas as quais ele havia se dedicado a esta prática nos laboratórios da faculdade onde estudava (acho que 12 ou 14 mil horas), segundos dados, Gates não era bom em programação, tanto que comprou o DOS, bem..., isso não vem ao caso, o livro é bom e tem seu valor para quem aprecia uma boa leitura. Abraços.